em Formação

As pessoas que tem o maior poder de nos ferir são aqueles por quem nutrimos os mais profundos sentimentos de afeto. E igualmente, as pessoas que mais temos a capacidade de ferir são os que mais nos amam.
Quando somos feridos ou ferimos àqueles que são próximos a nós, a vida nos faz cair em uma das suas mais terríveis armadilhas, que vem a ser, a de substituirmos o carinho e o amor que sentíamos por estas pessoas, pela mágoa e ressentimento. Uma pessoa disse um dia que não amava mais a seu pai. Essa pessoa estava ferida e havia ferido a seu pai. As feridas provocadas naquele filho, o levaram a experimentar uma das piores ciladas psicológicas que costumam atingir a tantos de nós que são pais, maridos, mães ou esposas.
A armadilha emocional produz mágoa, que leva pessoas a substituírem o amor pela indiferença, o afeto pelo desprezo, e o desejo de estar junto a alguém. Na verdade, quando alguém diz que o amor por um pai acabou, esta pessoa vivencia os efeitos desta armadilha emocional, que a leva a substituir um sentimento por outro.
Pessoas que vivenciam as consequências dessa armadilha psicológica tentam encontrar em outras pessoas a felicidade e os mesmos sentimentos que antes nutriam por um pai, uma esposa ou um marido. O detalhe é que estas pessoas geralmente se frustrarão em outros relacionamentos porque transportam dentro de si, emoções e sentimentos que não foram resolvidos e tratados por Deus.

Últimos Artigos

Faça um comentário