em Formação

A Palavra de Deus em Hebreus 11,1, nos ensina que “a Fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver”. No versículo 6 do mesmo capítulo, afirma que “Sem Fé ninguém pode agradar a Deus, porque quem vai até ele precisa crer que ele existe e que recompensa os que procuram conhecê-lo melhor”. Diante destas afirmações entendemos que a Fé é a convicção inabalável de que as verdades da Palavra de Deus se cumprirão em nossas vidas mesmo quando estas verdades nos falam de coisas que ainda não podemos enxergar ou mesmo entender. Não há como nos aproximarmos de Deus sem que esta fé resida em nosso coração e que esta convicção é crescente quando buscamos um relacionamento a cada dia mais íntimo com Deus. Em Mateus 6,13-16- lemos: . Jesus foi para a região de Cesareia de Filipe. Ali perguntou aos discípulos: Quem o povo diz que o Filho do Homem é? Eles responderam: Alguns dizem que o senhor é João Batista; outros, que é Elias; e outros, que é Jeremias ou algum outro profeta. E vocês? Quem vocês dizem que eu sou? Perguntou Jesus. Simão Pedro respondeu: O Senhor é o Messias, o Filho do Deus vivo. Neste texto Pedro demonstra toda a sua fé na Pessoa de Cristo. Mateus 26,31-35 e Mateus 26,57-58 Pedro “reafirma suas convicções” e também a confiança em sua postura ao lado de Jesus “mesmo que todos o abandonem”. Percebemos uma mudança considerável na atitude de Pedro. Quando nossa Fé Enfraquece? – Quando nos sentimos auto suficientes. Falta-nos humildade para reconhecermos nossa fragilidade. Achamos que somos inabaláveis e que ao contrário dos outros jamais fracassaremos. I Coríntios 10,12 – “Portanto, aquele que pensa que está de pé é melhor ter cuidado para não cair”. Começamos a achar que as coisas vão funcionar porque a nossa força é suficiente para isto. Abandonamos a dependência a Deus e iniciamos uma caminhada “perigosa” achando que com as rédeas nas mãos conquistaremos mais e melhor. Nos cansamos de esperar pela providência de Deus e fazemos da nossa maneira. Inevitavelmente colheremos os frutos trágicos desta atitude. Os erros e defeitos estão sempre nos outros. Assumimos uma postura crítica. Quando isto acontece é sinal de que falta-nos amor e isto é fatal para nossos relacionamentos. Quando relaxamos em nossa comunhão com Deus. Pedro o seguia de longe. Muitas vezes nossa comunhão íntima com Deus se transforma num “seguir de longe”, e já não somos fortalecidos pela sua presença. Falta-nos tempo com a Palavra de Deus e com a Oração e o nosso Testemunho se torna a cada dia mais insignificante e nada convincente. Nos afastamos da Comunhão com os irmãos da família de Deus e começamos a perder o calor gerado na companhia dos irmãos na fé. Estamos ocupados demais para gastar tempo com o que fortalecerá a nossa fé. As urgências da vida nos chamam incessantemente e nós sempre estamos prontos a atender aos seus apelos. Lucas 21,34-36. “E Jesus terminou dizendo: Fiquem alertas! Não deixem que as festas, ou as bebedeiras, ou os problemas desta vida façam vocês ficarem tão ocupados que aquele dia pegue vocês de surpresa como se fosse uma armadilha”. Quando cedemos ao Pecado em nossas vidas. Começamos a fazer “concessões perigosas” quanto à nossa postura como cristãos. Os “valores do mundo” que antes rejeitávamos, passam sutilmente a serem aceitos em nosso dia a dia. Abrimos brechas e permitimos que o pecado aconteça. Não há maior desgraça na vida do cristão do que esta vida “aparentemente” dupla. O inimigo de Deus, então, tem acesso às nossas vidas e nós caímos nas armadilhas que ele coloca diante de nós. Lucas 22,31-34. Nossa fé enfraquece quando o pecado toma o seu espaço em nossas vidas e tira de nós a alegria e a autoridade de uma vida desafiada à pureza. Eis alguns sintomas de uma fé enfraquecida: O Amor enfraquece, resultando no afastamento da comunhão com Corpo de Cristo que é a sua igreja. O prazer de orar e meditar na Palavra de Deus se transforma em peso e fardo. O Testemunho passa a não ser relevante.. O Pecado encontra lugar porque o Temor a Deus já não mais é o alicerce das decisões. As bênçãos ficam escassas e as Provações causadas por decisões erradas se tornam frequentes. Que durante todo ano, nos preocupemos com o reavivamento da FÉ.

Últimos Artigos

Faça um comentário