Por ocasião da festa de Santo Henrique, o Papa Francisco recebeu no Vaticano uma delegação da Igreja evangélica-luterana da Finlândia.

Em seu discurso, o Pontífice citou a comemoração comum da Reforma, no ano passado, que reforçou e aprofundou a comunhão entre os luteranos, os católicos e seus parceiros ecumênicos em todo o mundo.

“ Esta comemoração comum permanece uma fecunda oportunidade para o ecumenismo, porque marcou não um ponto de chegada, mas um ponto de partida na busca ecumênica da unidade plena e visível entre nós, sob a tríplice marca da gratidão, do arrependimento e da esperança – indispensáveis se quisermos realmente sanar a nossa memória. ”

Para Francisco, foi essencial para a comemoração da Reforma a dimensão ecumênica da oração e dos encontros, em que não houve mais sinais das desavenças e dos conflitos do passado. Pelo contrário, o evento foi vivido como um convite a fazer frente juntos à perda de credibilidade do Cristianismo. “O ano que acaba de se concluir nos recordou o tempo em que a unidade entre os cristãos ainda não havia se rompido.”

O Papa manifestou satisfação pelo documento produzido recentemente pela Comissão de diálogo luterana-católica da Finlândia, intitulado “Comunhão em crescimento. Declaração sobre a Igreja, a eucaristia e o ministério”. E recordou que o principal desafio comum no ecumenismo é reiterar a centralidade da questão de Deus, “não de um Deus qualquer, mas daquele Deus que nos revelou a sua face concreta em Cristo.

Por fim, Francisco mencionou o tema da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (que no Brasil se celebra entre Ascensão e Pentecostes) “A tua destra, Senhor,  esplendorosa de poder (Ex 15,6)”.

Este tema “nos recorda a situação de grave necessidade em que vivem inúmeras pessoas em muitas partes do mundo, pelas quais devemos entrar em campo, unidos pelo mesmo empenho ecumênico”.

Fonte: Vatican News

Últimos Artigos

Faça um comentário