No Dia Mundial da Conscientização do Autismo (02/04), quando o Papa Francisco dedicou uma oração especial para as pessoas com autismo, o Vaticano divulgou uma mensagem levando a “esperança de Cristo Ressuscitado especialmente aos irmãos e irmãs com Transtorno do Espectro Autista (TEA), suas famílias e pessoas que os assistem dia após dia”.

O cardeal ganês Peter Turkson, Prefeito do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, pede mais inclusão e uma rede eficaz de serviços e de apoio às famílias.

Diversas associações internacionais fizeram apelos para as instituições garantirem uma melhor qualidade de vida para as pessoas com o transtorno. No mundo, uma criança a cada 160 tem autismo e o fenômeno está crescendo.  

Quase uma emergência

“É necessário um maior comprometimento e novas forças para poder responder adequadamente a essa tendência, que parece ter assumido caráter emergencial. Dirijo um olhar especial às famílias das pessoas com autismo, que merecem grande admiração ao aceitar com amor a provação de uma criança afetada por esse transtorno”, afirmou Turkson.  

“Elas oferecem um testemunho extraordinário de amor, mas seus apelos devem ser ouvidos e transformados em ações”, afirma o cardeal, convidando a “romper o isolamento e em muitos casos, o estigma que pesa sobre as pessoas com autismo e suas famílias”.

Estar ao lado das famílias

Dez anos após o estabelecimento do Dia Mundial pela Organização Mundial da Saúde, o caminho para a igualdade e oportunidade para as pessoas com esse transtorno ainda está em um estágio inicial.  

“A Igreja, com suas obras, dá testemunho de sua atenção e solicitude para com as pessoas com autismo. Em nossa comunidade está presente uma atitude geral de acolhida, mesmo se é difícil alcançar uma inclusão real”, prossegue.

Respostas sociais adequadas

Segundo Turkson, “é fundamental que nossas comunidades cristãs sejam casas nas quais todo sofrimento encontre compaixão, nas quais toda família com o peso da dor e do cansaço possa sentir-se compreendida e respeitada em sua dignidade”.

Aliança saúde-educação

“Todos os membros da família devem ser levados em consideração, não apenas os pais, mas também outras crianças, cujo desenvolvimento requer o máximo cuidado e atenção. Quantas vezes elas experimentam um sentimento de inadequação, ineficácia e frustração!”.

Assim, o Cardeal Turkson propõe “construir uma aliança sólida entre setores como a saúde e a educação”, de modo a “garantir a continuidade dos cuidados e da assistência ao longo da vida”.

Fonte: Vatican News

Últimos Artigos

Faça um comentário